Buscar
  • Vip Shore

A ARTE QUE INSPIRA A VIDA


No Mês da Mulher, conheça a história de superação da bailarina catarinense Laura Flôres, que aos 27 anos foi diagnosticada com uma doença rara, mas não desistiu de lutar pela vida. Laura usou a dança como inspiração para seguir em frente. Portadora da Síndrome de Susac, ela lançou um livro e está sempre buscando motivar outras pessoas com a sua trajetória.




CCO/Pixabay


As doenças raras afetam 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos. Existem mais de seis mil tipos, sendo 80% de origem genética, e que atingem cerca de 13 milhões de brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde.


Doenças crônicas, progressivas e incapacitantes, podendo ser degenerativas, e que mudam para sempre a vida dos pacientes. Foi assim com a bailarina e professora de dança Laura Flôres, que teve a carreira abruptamente interrompida em 2005, aos 27 anos.


“Eu já sentia alguns indícios como dor de cabeça constante, que me acometia há pelo menos três anos, mas ninguém sabia o que era. Foi durante uma viagem para o Rio que os sintomas pioraram muito”, conta Laura. Ela teve tontura, desequilíbrio e passou muito mal com enjoo e vômito. “Fui internada em diferentes hospitais, mas não houve diagnóstico. Somente após o retorno para Florianópolis descobri que tinha a Síndrome de Susac”, recorda.



Laura Flôres em movimento | Divulgação/SC em Pauta

Também conhecida como encefalopatia retinococleocerebral, a Síndrome de Susac é uma doença autoimune caracterizada por encefalopatia, oclusões arteriais da retina e perda auditiva. Há 14 anos, quando Laura foi diagnosticada, existiam apenas 80 casos registrados no mundo. “A doença afeta o cerebelo e, por consequência, a coordenação motora e o equilíbrio. Também tive diversos reflexos neurológicos, como confusão mental, perda de memória e dificuldade de orientação espacial. Para quem é bailarina, digo que foi como se tivessem tirado o meu chão”, revela.


Laura precisou reaprender a viver de acordo com a sua condição. E foi justamente na dança que ela encontrou o seu novo propósito, desta vez, como autora do livro ‘Dança das Flores: a bailarina que perdeu o equilíbrio’, lançado em 2013, e idealizadora do projeto ‘Inspirando Vidas’, onde ministra palestras, workshops e aulas de dança inclusiva.


Na agenda de Laura para março estão eventos por Santa Catarina e em abril ela estará em Curitiba para divulgar o livro. “A Síndrome de Susac não foi o ponto final da minha trajetória, mas sim, o início de um novo capítulo. Tenho vários projetos em mente e a minha missão de vida agora é inspirar outras pessoas com a minha história”, afirma a bailarina.

0 visualização
Logo Cuidar .jpg
Logo Salesiano -Itajai.png
1.jpg
enio logotipo.png
wizard.png
forsafe LOGO.jpg
Logo Porto Grill.png
logo REMAX.jpg
sakai logo.jpg
VJP_NÁUTICA_logo.jpg

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

  • YouTube - Black Circle
  • instagram.com/vipshore
  • Facebook - Black Circle

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147