o seguro morreu de velho...

Foto: Pixabay

A vida proporciona imprevistos. Todos estão sujeitos a mudanças bruscas. Apesar de determinados acontecimentos serem difíceis de prever, estar um passo à frente e pensar no futuro é uma questão de segurança – tanto para você, quanto para as pessoas ao seu redor. Você já pensou em fazer um seguro de vida? Como ficariam, na sua ausência, as pessoas que dependem de você? Pensar no outro também é um sinal de cuidado.

As opções de seguros são diversas e toda apólice deve ter um beneficiário, porém, também existe a possibilidade que o contratante não indique ninguém. Neste caso, os beneficiários são aqueles indicados pela lei conforme o Artigo 792 do Código Civil. Para saber mais sobre o universo de seguros, conversamos com quem é especialista no assunto. Habilitada em Corretagem de Seguros pela Escola Funenseg, a corretora Ana Paula Merini, da AMSeg Corretora de Seguros, com sede em Balneário Camboriú, esclarece dúvidas e dá dicas sobre detalhes que envolvem a contratação de uma apólice.


 

Apesar de ser mais comumente contratado por pessoas que têm filhos, cônjuge ou pais a quem desejam deixar amparados em caso de morte, qualquer pessoa acima de 16 anos pode adquirir um seguro. “Há alguns seguros que podem ser utilizados ainda em vida, como as coberturas para doenças graves e câncer, que são indenizadas ao próprio titular do seguro para seu tratamento ou uso conforme sua própria vontade”, completa Ana.


 

Mas, na hora da contratação, podem surgir dúvidas em relação aos tipos de cobertura e valores que devem ser contratados. Neste momento, entra em cena o conhecimento do corretor. “Para escolher um seguro de vida, o corretor precisa analisar qual o maior risco do segurado, seu perfil e dos beneficiários. Assim, é possível oferecer a melhor opção para cada perfil”, explica Ana. Os valores que vão definir a indenização por morte, por exemplo, são vinculados à cobertura contratada. Já no caso de indenização por invalidez, o cálculo se dá em função do membro assegurado. Há uma tabela da Superintendência de Seguros Privados (Susep) que serve de referência para cálculo de cada membro do corpo e suas funções, permitindo à seguradora indenizar o segurado com base nestas indicações.

Na hora de escolher, considere...

  • Analise os riscos, principalmente pela profissão.

  •  Faça orçamentos com opções de valores de coberturas, para indenizações diferentes.

  • Faça uma análise de como ficariam as pessoas próximas na sua ausência, o padrão de vida de sua família, e seus bens materiais que serão mantidos por eles.

  • O seguro de vida tendo por indicação de beneficiários os filhos garante que essa indenização seja paga somente para eles. Caso sejam menores de idade, o valor fica numa conta protegida até que atinjam a maioridade.

  • Divida com o seu corretor as suas necessidades. É muito importante que todas as informações, como declaração pessoal de saúde, estejam corretas.

Tipos de seguros, escolha o seu:

  • Seguro de vida comum: engloba somente as coberturas básicas como morte por qualquer causa, morte acidental dobrada, invalidez funcional, permanente total por doença, invalidez permanente total ou parcial por acidente.

  • Seguro de vida mulher: engloba as coberturas já mencionadas e pode ser incluída a cobertura de doenças graves e câncer de mama, ovário e útero.
     

  • Seguro de vida homem: engloba as coberturas de um seguro comum e pode ser incluída a cobertura de doenças graves e câncer de próstata.

  • Seguro de vida sênior: inclui somente a cobertura por morte.

Ana Paula Merini, corretora de Seguros AMSeg
Foto: Caio César Schreiber

SIGA A VIP SHORE

  • Facebook
  • Instagram

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

  • YouTube - Black Circle
  • instagram.com/vipshore
  • Facebook - Black Circle

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147